APAE Batatais

 

As iniciativas do casal Maria Cinto e Osmani César Campez, no início da década de 70, modificaram não só a história local, como também por algumas vezes a história nacional. Graças a eles, hoje a APAE tem muita história pra contar. Maria, que era professora especializada em deficiência auditiva, viajava todos os dias de Batatais a Ribeirão Preto, pois lecionava para uma sala de alunos com deficiência da Escola Cônego Barros. Reconhecida nos meios educacionais pelo trabalho que realizava na vizinha cidade, lhe foi confiada uma criança do Instituto Agrícola de Menores (Antiga FEBEM), com deficiência auditiva, para que a mesma frequentasse a escola ribeirãopretana. Pouco tempo depois, foram surgindo outros alunos, e a professora assumia, sem nenhuma remuneração, o compromisso de transportá-los todos os dias.


Releases do cliente

Veja clippings deste cliente